Como meditar em um Labirinto

Atualizado: Jan 25



Por milhares de anos, os seres humanos criaram os caminhos em espiral que se dobram sobre si mesmos dentro de labirintos por razões que vão desde a decoração à arte e mito. Desde então, o labirinto tem sido muito utilizado como uma ferramenta criativa ou espiritual. Se tiver um problema, é possível usar o labirinto para ajudar a resolvê-lo. Se tiver uma necessidade de descobrir significado espiritual ou encontrar inspiração, um labirinto pode ser colocado ao seu serviço.

Como uma ferramenta de meditação que consiste em um caminho transitável em linha reta, um labirinto pode ser fonte de consolo e pode aquietar a mente distraída ou hiperativa. Quando estiver preocupado por emoções perturbadoras ou acontecimentos infelizes em sua vida, andar em um labirinto pode ajudar a resolver o desconforto interno e ainda clarear sua mente para entender o que está acontecendo. Como uma ferramenta espiritual, tanto o efeito calmante e apaziguador quanto o simbolismo metafórico do labirinto como um caminho para uma viagem ou trilha espiritual poderão ajudá-lo a refletir maiores mistérios da vida.

Meditação dentro de um labirinto

1

Fique na frente da entrada para o labirinto. Declare sua intenção com a maior clareza possível. Por exemplo: Eu quero uma solução para o meu problema com .... Poderá ser qualquer coisa que esteja incomodando você.

2

Concentre-se, respirando profundamente. Isso é importante porque assim você instruirá seu subconsciente e todas as outras partes de seu corpo para prestar atenção ao desejo sincero de resolver o problema.

3

Reconheça sua jornada meditativa ou espiritual dentro do labirinto. Você também pode fazer uma oração curta ou sujar-se, dependendo de qual fé você é adepto. Fechar os olhos e refletir ou fazer uma reverência são outras maneiras agradáveis de iniciar o processo.

Decida se você vai andar descalço ou com sapatos. Com os pés descalços, você pode sentir a textura da terra sob seus pés e se conectar às forças dela.

4

Comece sua caminhada. O primeiro passo definirá o ritmo. Ele pode ser rápido ou lento. Escolha sua intenção para a caminhada. Você está sendo espiritual, reflexivo, consciente, lúdico, criativo ou algo mais? Se você precisa de resolução de problemas, sua caminhada se torna uma meditação quando seu único foco vira a caminhada. Outras partes suas têm agora a oportunidade de processar seu pedido de uma solução.

Se estiver muito aborrecido: andar rapidamente permite que as emoções se dissipem mais facilmente. A maioria das pessoas tenta abrandar a mente andando mais devagar, confiando na reflexão da mente e corpo.

5

Continue a andar. Mantenha a mente tranquila e acalme os pensamentos perturbadores quando surgirem. Concentre-se na colocação de um pé diante do outro e regule a respiração rítmica e suavemente.

Se estiver com problemas, caminhe como se não tivesse problema algum; deixe fluir. Renda-se à atividade da caminhada atenciosa. Deixe a carga (o problema) cair de seus ombros. Várias partes do seu ser agora estão a processar o desejo de solução. Tudo que você tem a fazer é deixá-lo incubar e não interferir; deixe-o ser e esqueça qualquer expectativa. Continue a andar como se não tivesse nenhum problema. Abra sua mente.

Se estiver indo em uma viagem espiritual ou buscando inspiração criativa, mais uma vez esvazie a mente e simplesmente renda-se à experiência de caminhar no labirinto.

6

Faça uma pausa ao chegar ao centro. Você pode parar por um tempo, sentar ou deitar, se quiser, e meditar ou refletir. A principal coisa é deixar-se entregar totalmente ao seu processo interno. É bom ter todo o tempo que você precisa.

Se não tiver um problema, dúvida ou busca por inspiração, apenas sente em silêncio e deixe as coisas fluírem.

7

Saia do labirinto. Quando estiver pronto, apenas saia. Aceite as ideias e inspirações que possa ter recebido. Adotar um sentimento de gratidão facilitará as resoluções. Agradeça pelo que você aprendeu.

Dicas

Os labirintos não são enigmas (dédalo). Essa confusão é frequente, mas os dédalos são caminhos com inúmeras entradas e becos sem saída. Um labirinto, por outro lado, tem apenas um caminho de entrada e saída e o objetivo dele é chegar a um centro, e conhecer o caminho o tempo todo. Quem anda em um labirinto nunca deve se perder, já que é uma distração desnecessária; pode ser um labirinto especialmente grande na ocasião, mas que ainda deve ter um caminho claro.

Você pode desejar usar o exercício de meditação no labirinto regularmente para ajudar a se concentrar e acalmar. Ele pode ser uma experiência muito edificante espiritualmente, que conecta muitos séculos com muitos milhares de outros seres humanos através do tempo, que acreditam ter no labirinto uma fonte de poder e cura.

Optar pelo uso de um labirinto é uma escolha totalmente sua, mas é bom caminhar de manhã cedo, à noite e nos fins de tarde não muito quentes. Não é muito divertido tentar meditar no meio de um labirinto com o sol quente queimando sobre você, então escolha sabiamente para se adequar ao seu estado de espírito e conforto.

Acesse o Programa Conexão Expert – https://www.serfelizsempre.com/conexao-expert

0 visualização

Ciências Holísticas & Desenvolvimento Humano